Objetivas: tipos

Vários fatores contribuem para uma boa imagem fotográfica e a associação destes fatores vão determinar qual a qualidade que aquela determinada cena ou fotografia obterá. Além do tamanho  sensor (CCD ou CMOS), de sua sensibilidade e resolução, um outro fator bem importante e o conjunto ótico utilizado: as lentes fotográficas. 

Muita gente não se da conta, mas uma lente ruim pode comprometer uma fotografia, um vídeo, uma produção seja ela do tamanho que for. Vários detalhes definem o nível de qualidade de uma lente,  os principais são: a qualidade do cristal utilizado, a sua lapidação, o seu polimento, a sua luminosidade, as aberrações ótica e cromática e a sua montagem (se a objetiva e montada com material plástico ou com metais nobres ou também se refere qual o bocal ela utiliza).

O problema é que quanto mais qualidade a lente possuir, infelizmente mais cara ela é!

Estrutura da objetiva

Como falamos quanto à estrutura de uma objetiva, ela pode ser fixa ou zoom. Quanto aos milímetros, elas variam desde 8mm até 800mm ou mais. Vamos conhecer alguns tipos de objetivas e suas características:

Tipos de objetivas e suas características

Super grande angular

Sabe aquela foto que fica totalmente arredondada? São fotografias realizadas com a chamada olho de peixe, objetiva com distância focal de 8mm, por exemplo. Captam imagens em ângulo de 180° e ficam totalmente redondas e bem distorcidas em vez de retangular.

Entram nessa categoria, também, as objetivas até 15mm, que já não apresentam imagens redondas, mas têm suas bordas distorcidas, por causa do ângulo de visão ser bem aberto. São utilizadas para fotografia de grandes áreas, com pouco espaço para enquadramento. Não são apropriadas para fazer retratos, por conta da distorção que apresentam. Entretanto, podem ser utilizadas para esse fim, formando imagens criativas.

Grande angular

Variam de 16mm a 35mm, ainda causam uma leve distorção nas bordas, porém nem tanto quanto as de 8 ou 10mm.

São, também, indicadas para fotografar grandes paisagens e áreas onde não há muito espaço para conseguir todo o enquadramento do assunto, com uma lente normal.

Apesar de não serem indicadas para retratos de close, podem ser utilizadas para retratos de grupos em espaços pequenos, por apresentarem ângulos um pouco mais abertos que a de 50 milímetros, por exemplo.

Normal

São as que se assemelham à visão humana em termos de ângulo. É a famosa cinquentinha, tão querida por muitos fotógrafos. Entretanto, esse ângulo de enquadramento de 50mm só é possível nas câmeras de filme 35mm ou nas digitais de sensor full frame. Nas câmeras digitais com sensor que apresentam fator de corte, esse ângulo é menor (cerca de 70 a 80mm).

Muito utilizadas para retratos de close ou meio corpo, a 50 milímetros fixos, pois ela pode estar presente em uma objetiva zoom, costuma apresentar uma boa nitidez da imagem e diafragmas mais abertos, como f/1.8, auxiliando na fotografia em ambientes mal iluminados e proporcionando fundos mais desfocados, para destacar o assunto principal.

Meia Tele

São lentes intermediárias, entre a objetiva normal e as teleobjetivas, que variam de 70mm a 135mm.

Muito apropriadas para fotografia de retratos em externas ou estúdio, por apresentarem um enquadramento perfeito, sem distorções, bem como para fotografia de grupos pequenos, em que há uma boa distância entre o fotógrafo e o grupo para realização do enquadramento.

Podem ser encontradas como lente fixa (85mm, por exemplo) ou podem fazer parte de uma objetiva zoom, como as que costumam vir em kits prontos junto com a câmera, como a 18–135mm, por exemplo.

Teleobjetiva

São as que apresentam distância focal acima de 200mm até cerca de 600mm.

Capturam assuntos de média a longa distância, possuem como característica o achatamento dos planos, tornando quase únicos, e também uma profundidade de campo mais curta, apresentando fundos mais desfocados, mesmo com aberturas de diafragma menores (f/5.6 ou f/8.0), principalmente, quando a distância focal é maior (500 ou 600mm).

Muito utilizadas, por exemplo, em partidas de futebol, cuja distância do fotógrafo com relação ao lance é maior. Normalmente, são lentes fixas (400, 500mm). Mas, podemos encontrar algumas dentro de conjuntos de zoom, como, por exemplo, 70–200mm ou 75–300mm, 200–500mm. Costumam ter suporte para colocação de tripé ou monopé, por causa do peso.

Super Teleobjetiva

Você já deve ter visto fotos da Lua muito próxima, em que podemos perceber as crateras e sua textura.

Esse tipo de foto é feita com uma super teleobjetiva que apresenta distância focal de 700mm ou mais. É uma lente muito pesada e grande, que possui um suporte para colocação do tripé ou monopé, porque seria muito difícil sustentá-la na mão para realização de fotografias.

Macro/Micro

Sabe aquelas fotos em que podemos ver detalhes dos olhos dos insetos ou de um selo? Elas são produzidas com uma lente macro/micro. A diferença entre uma objetiva macro/micro para as outras é que podemos chegar muito perto do assunto e fazer o foco.

A distância mínima para realização do foco é bem menor, muitas vezes de 10cm e fazem a proporção de 1 para 1, em termos de relação tamanho do assunto e resultado fotográfico, característica própria dessas lentes, que não encontramos nas outras.

Costumam ser lentes fixas como, por exemplo, 60mm ou 100mm, com uma boa abertura de diafragma e conjunto ótico com boa ou ótima qualidade. Muito utilizada para fotografia científica ou de pesquisa, em que é necessária uma aproximação maior de assuntos bem pequenos.

Tilt Shift

É uma objetiva bem diferente das outras, principalmente, pelo tipo de deslocamento que ela pode fazer em seu eixo.

Enquanto em qualquer outra objetiva, temos apenas a opção de girar o anel de zoom, a Tilt-Shift (Tilt = inclinação + Shift = deslocamento) pode ser movimentada perpendicular e paralelamente ao seu eixo. Cada movimento traz um resultado diferente na foto.

A inclinação Tilt interfere na profundidade de campo, provocando um efeito de miniatura, que muitos aplicam, utilizando filtro, em programa de edição de imagem, imitando o resultado causado ao se fotografar com este tipo de lente.

O deslocamento Shift interfere na correção da perspectiva. Ao se fotografar com lentes comuns, as linhas convergem para um ponto, causando a distorção. Com o deslocamento Shift, corrige-se essa distorção, colocando as linhas paralelas ao plano do sensor ou filme.

Essa objetiva é muito utilizada em fotografia de arquitetura, por corrigir a perspectiva, deixando as linhas retas. São lentes fixas que podem ser encontradas, normalmente, nas distâncias focais de 17mm, 19mm, 24mm, 45mm e 90mm.


Referências

HEDGECOE, John. O novo manual da fotografia: Guia completo para todos os formatos. São Paulo: Senac, 2005.

HEDGECOE, John. Guia de Fotografia para iniciantes. Biblioteca Fotografe Melhor. São Paulo: Europa, 2013.

PETERSON, Bryan. Prática fotográfica: guia de consulta rápida como fazer ótimas fotos com qualquer câmera. Balneário Camboriú, SC: Photos, 2012.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s